A viagem dos cachorros

{*Se você chegou aqui agora e não leu o post anterior, recomendo que você leia antes desse!*}

Obs: peço desculpas de antemão pelas fotos de celular! Se quiser vê-las maiores, é só clicar que elas abrem em outra janela.

     A nossa viagem foi sempre planejada depois de planejar a dos nossos cachorros, de maneira que o sofrimento deles fosse o menor possível, pois já seria uma viagem super estressante…então optamos por vir uma semana antes deles e deixá-los sob os cuidados dos meus pais. Assim, nessa primeira semana chegaríamos no apto novo já compraríamos tudo que fosse necessário pra quando eles chegassem, deixando tudo pronto pra recebê-los. Eles tiveram que vir como carga, conforme contei antes, por causa do tamanho, peso e raça.

     Na chegada, o Canadá não exige que os cachorros fiquem de quarentena, o que já é um alívio absurdo, mas a viagem duraria em torno de 30 horas e exigiria que eles ficassem dentro das caixas praticamente todo esse tempo. Naturalmente, nossa maior preocupação era de que eles tivessem medo de entrar nas caixas, de que fosse difícil adaptá-los….Só tivemos duas semanas no Brasil para adaptá-los às caixas (*se você tiver mais tempo recomendo começar antes, principalmente se o seu cachorro for medroso!*), mas pra nossa surpresa, assim que as abrimos, eles correram lá pra dentro, o que me deixou bem mais tranquila. Deixávamos separadamente cada um dentro da sua caixa, fechávamos por algum tempo e também deixamos dormirem dentro delas (sem fechar a portinha, claro), pois era necessário eles perceberem que podiam deitar e dormir ali dentro, além de já deixar o cheirinho deles por lá. Eles sempre dormiram juntos e tinham apenas uma casinha, então a parte mais complicada foi separá-los para o transporte, já que é permitido somente um animal adulto por kennel.

     Como também já mencionei, tivemos que comprar caixas específicas de madeira, por causa das raças dos nossos cachorros. Seguem as fotos pra vocês terem ideia de como são:

caixas

     A viagem tinha sido agendada para logo depois da páscoa, saindo do Brasil dia 23 de abril, fazendo escala em Houston e chegando em Vancouver dia 24. Porém, como nada acontece do jeito que a gente planeja, eis que dia 17 à tarde, quinta-feira antes da páscoa, recebemos um email da Carga Viva Export informando que o aeroporto de Vancouver estava com um embargo para o recebimento de animais, e que eles não poderiam embarcar na data marcada e teríamos que mudar o destino de chegada. COMO ASSIM?!? Bateu o desespero antes mesmo de terminar de ler!! No mesmo email, ofereceram outras 3 opções: transportar até Toronto (opção que nem podíamos escolher, visto que nosso Pitbull não poderia passar por lá), transportar até Montreal ou transportar até Seattle. Em qualquer das opções, teríamos que ir buscá-los ou arrumar alguém pra trazê-los…sem condições de ir buscá-los em Montreal, né?! A opção mais viável era Seattle mesmo, fazendo o restante do caminho de carro (aproximadamente mais umas 4 horas de viagem). Pra ajudar, marido já começaria a trabalhar no emprego novo dia 21 de abril, então não tínhamos nem como buscar em Seattle também!! Remoemos esse percalço da quinta-feira, antes da páscoa, até a próxima terça-feira, depois da páscoa, já que nesse meio tempo não tinha como falar com ninguém e muito menos resolver alguma coisa… Na terça, dia 23, a própria empresa indicou outro parceiro em Seattle que pudesse trazer os cachorros até nós. Tudo certo e viagem remarcada, agora para o dia 29, saindo do Brasil e chegando em Seattle, com escala em Houston. Tudo resolvido?! Aham…

     Como um problema só é muito pouco, a empresa que faria o transporte Seattle-Vancouver retornou o email da reserva no outro dia, informando que seria impossível transportar os cachorros por essa rota, pois o embargo, na verdade, era em Houston. Nesse ponto, já estávamos tão irritados e nervosos com tanta informação desencontrada, que ligamos pra lá e pra cá tentando entender o que se passava…Depois de questionar a Carga Viva Export, eles nos retornaram dizendo que não havia mais embargo no aeroporto de Vancouver, e que poderíamos novamente seguir com o transporte direto pra cá, porém trocando a escala de Houston para Chicago. Até hoje não encontramos informação nenhuma a respeito de embargo no aeroporto daqui, o que nos leva a crer que houve um entendimento errado da informação por parte deles… Desfeita então toda a confusão, a viagem foi remarcada pro dia 30 de abril, fazendo o seguinte roteiro:

  • 12h00 = Saída de Campinas, de Táxi, com destino ao aeroporto de Guarulhos.
  • 15h00 = Vistoria do órgão de inspeção e liberação para embarque.
  • 21h10 = Embarque pela United Pet Safe: São Paulo → Chicago.
  • 05h40 = Chegada em Chicago (horário local). (*Fomos informados de que nas 4 horas de espera entre um vôo e outro eles seriam alimentados, retirados das caixas para que um veterinário analisasse o estado deles e para limpeza das caixas. Não sei informar se realmente esses procedimentos aconteceram, visto que a ração que minha mãe enviou com eles chegou aqui intacta. Não sei se não quiseram comer ou se não ofereceram, mesmo. Retirados das caixas eu sei que foram, mas explico mais à frente.*)
  • 9h45 = Embarque pela United Pet Safe: Chicago → Vancouver.
  • 12h20 = Chegada em Vancouver (horário local)
  • 15h00 = Chegada na nossa casa!!

     O desembaraço no aeroporto de Vancouver e transporte até a porta de casa foi feito pela empresa Worldwide Animal Travel, que eu SUPER recomendo! Ótimo atendimento e ótimo serviço; o rapaz que os trouxe foi super simpático e carinhoso com os nossos cachorros, além de atencioso e pontual com a gente.

     O transporte deles foi muuuito estressante, tanto pra nós quanto pra eles. Chorei bastante nos dias que antecederam a viagem, por causa dos problemas que havíamos tido e por medo de eles sofrerem muito na viagem…se eu pudesse ir junto com eles, dentro da caixa pra confortá-los, eu teria ido!

embarque

Olhando pelo buraquinho :D

     Assim que a minha mãe me ligou avisando que eles já estavam no táxi pra São Paulo, eu, que já tinha roído todas as unhas da mão, quase comecei a arrancar os cílios, de tanto desespero. Muito medo de que acontecesse alguma coisa com eles, e muita agonia de imaginar que eles não sabiam o que estava acontecendo e com certeza estavam com medo…Umas duas horas depois, sem notícia alguma, enviei um email pra Carga Viva Export e eles me responderam prontamente, informando sobre a chegada deles em Guarulhos. Depois da inspeção, eles também nos enviaram um email avisando sobre a liberação para o embarque. A partir desse momento, foi possível fazer o rastreamento pelo site da United, usando o código que eles informam no ato da reserva da “passagem”.

Rastreamento pelo site da United Cargo

Rastreamento pelo site da United Cargo

     Desnecessário dizer que passei essa noite praticamente em claro, atualizando o rastreamento pra ver se algo de novo aparecia, né?! Quando eles chegaram em Vancouver o rapaz responsável por pegá-los e trazê-los pra gente fez todo o desembaraço necessário para a liberação deles (esse processo durou cerca de 1 hora) e nos ligou, avisando que já estava com eles, que estavam bem e que brincaria um pouco com eles antes de trazê-los, pra que eles fizessem um pouco de exercício fora da caixa. Assim que ele chegou aqui, descemos pra ajudar a tirar os cachorros do furgão e percebemos que nenhum deles estava na caixa que deveria estar: o Pitbull estava numa caixa bem parecida com a de madeira, porém de metal, e a Bull Terrier estava num kennel comum, de plástico. Até hoje não descobrimos o que aconteceu; apenas sabemos que as caixas foram trocadas em Chicago e que a caixa de metal deveria ser retornada para lá; o próprio rapaz que os trouxe levou de volta ao aeroporto. A outra caixa ficou com a gente. Relatamos o fato pra Carga Viva Export, que nos informou que abriu uma reclamação na United, mas até hoje não recebemos nenhuma resposta sobre o ocorrido. Mais uma dúvida que ficou no ar…No fim das contas foi melhor, pois as caixas de madeira eram enormes e não teríamos o que fazer com elas; nossa intenção era doá-las a uma instituição que resgata Pitbulls por aqui. Como o kennel que veio era menor, a gente conseguiu aproveitar pra fazer de casinha pra eles.

Caixas diferentes?!

Caixas diferentes?!

     

     Eles chegaram MUITO estressados. A branquela, que é mais agitada, chegou com o focinho todo esfolado de ficar tentando enfiar o nariz nos buraquinhos da caixa, e o Pitbull, que é super medroso com relação a barulhos, chegou apavorado, com muito medo de tudo. Assim que os tiramos das caixas eles fizeram muita festa pra gente, e depois de cheirarem o apartamento inteiro, não quiseram nem comer, apenas deitaram e dormiram super profundamente até o dia seguinte. Roncaram pra caramba!! No dia seguinte a Bull já estava a todo vapor, ligada no 220V como de costume, pronta pra desbravar a nova cidade, mas o macho demorou mais ou menos uma semana pra voltar ao comportamento normal; ficava com o rabinho entre as pernas e tinha medo até da sombra. Nem na varanda do apartamento ele ia sozinho. Hoje, já estão bastante adaptados e amando morar dentro de casa com a gente. (*e quem é que não acostuma com coisa boa, né?! rs*)

desembarque

Oba! Chegando na casa nova!

diaseguinte

Cansaço e preguicinha do dia seguinte…

Anúncios

22 comentários sobre “A viagem dos cachorros

  1. Que lindo o layout de vcs! tadinhos dos cães! tb me preocupo, pq tenho 2 gatas, e claro q elas irão com a gente. Obrigada pelo comentário e quero saber tdo!!

  2. Olá…meu marido e americano e algumas vezes pensamos em morar nos EUA …”despensamos” rapidamente ao olhar nossas bernardas (duas são bernardo) uma delas pesando 100 k ….melhor não! Rs muito feliz que seus aos estejam bem e felizes !

  3. Estou indo pros EUA no final de Dezembro e levarei 2 cachorros comigo. Teria como você me mandar um email pra trocarmos informações e, quem sabe, você me ajudar em uma dúvidas? o email é: mail . do . thiago A gmail.com !!

  4. Eu vou para Vancouver dia 01/02/15 com meu marido, e minha sogra levará minha filha e meu filho canino vira-lata dia 30/04/15. Ele é um viralatinha de tamanho médio e poderá ser despachado no mesmo vôo que minha sogra e filha, mas também estou com o coração na mão. Comprei a caixa de transporte em outubro, pra ele já ir acostumando, todos os dias deixo ele lá um tempo com a pontinha fechada, e estou aumentando o tempo gradativamente. Ele gosta da caixa, virou a casinha dele, mas o que mais me dá medo é o barulho que ele terá que enfrentar, moramos no interior e aqui é muito sossegado, qualquer barulho mais alto ele já fica assustado, imagina como será quando estiver perto das turbinas. Estou pensando seriamente em dar algum remédio para ele dormir. Também estou preocupada em achar algum lugar para morar aí que aceitem cães, vejo na internet e posts que pet restringe muito as opções.
    Li o seu post e só quis desabafar….kkkk
    Muito legal seu blog, parabéns!

  5. Nossa, fiquei emocionada com a sua historia, eu pretendo imigrar para o canada ano q vem, e ja havia decidido que jamais iria deixar meu filho vira lata aqui.Mas não tinha ideia de como planejar para leva-lo, seu blog me ajudou muito.Uma linda historia .Esses bichinhos fazem parte da família, tem muitas pessoas que acham que são coisas descartáveis,mas não são.Tudo de bom para vcs e seus filhos de 4 patas!!!!
    Beijossss

  6. Muito obrigada por compartilhar sua experiência! Me identifiquei muito pois eu e meu marido estamos imigrando para o Canadá e levaremos nossa vira lata e nossa pitbull. A princípio iríamos para Toronto mas agora, descobrindo que não é permitido pitbulls lá, mudamos os planos para Vancouver. Estou com o coração na mão por fazê-las passar por esse “trauma” da viagem e me emocionei com sua história, mas vamos fazer da maneira mais confortável possível para elas.

  7. Olá… Muito legal essa tua dica… meu problema é menor… preciso saber se você terai o endereço de quem fez essa caixa de madeira para você… tenho uma rotweiller para levar para Manaus só embarca se for caixa de madeira. Agradeço a tua atenção

  8. Olá! Muito legal o post. Estou aqui na luta para trazer meu pit bull de 5 meses para os Estados Unidos, pois dependo da minha família no Brasil providenciar a caixa de transporte e não tem sido fácil! Poderia por favor dar uma indicação do local de confecção da caixa? Obrigada!!

  9. A que lindo . até chorei pensando no seu desespero rs ..e chorei mais um pouco com as fotos deles chegando kkkk ..
    Eu pretendo ir para Quebec e estou com muito medo da adaptação da minha cachorrinha pois o clima onde eu moro e quente . e lá e bastante frio ne ( bota bastante nisso ) kkk..

  10. Amei a dica, e ainda mais os cachorros!!! Assim que der vou trazer a minha bull Terrier tb! ☺️😚

  11. Muito obrigada por escrever esta experiencia!! irei para o Canadá com minha Golden e vai dar tudo certo! te aviso também!! bjus!!!

  12. Adorei muito os posts, super útil!!!
    Estou procurando sobre apartamentos que aceitam pet, quero levar minha york para Vancouver, mas estou tendo muita dificuldade para achar apartamentos na região (richmond, burnaby..arredores de vancouver).
    Você encontrou com facilidade? por onde? helpp me

    Brigada ;*

  13. Olá! Eu sei que o peso é de acordo com destino, peso..mas poxa, nem um preço pra eu ter ideia?? Me ajuda!! Eu trouxe meu Pit do canada mas ele pesava COM a caixa 32 kilos e foi tranquilo, agora ele ta mais pesado e nao passa mais! Vou ter que voltar pro Canada e transportar. Eu queria ter uma noção do valor. 2 mil., 5 mil, 10 mil reais??
    HELP!

  14. Olá Bia!
    Como vai?

    No mês que vem estarei viajando com o meu Bull Terrier para NY.
    Na época você lembra se o seu pôde ir com alguma cobertinha dentro da caixa de transporte?

    Aguardo seu retorno.

    Atenciosamente,
    Catarine Gregório.

  15. Bia, oi!
    Vou passar pela mesma situação que você no próximo ano, e seus posts me ajudaram muito! Muito mesmo!
    Mas agora estou muito preocupada com a viagem da minha staff, e achei que essa confusão de aeroportos foi bem complexa, e vou pedir um orçamento para a Sysbrac. Você já ouviu falar dessa?
    Outras dúvidas: seus babies se adaptaram bem ao clima? Você já teve que levá-los ao veterinário?
    Estou muito preocupada …

    Muito obrigada pela ajuda!!!

  16. Boa noite. Obrigada por compartilhar sua história e dicas!
    Gostaria de saber o contato onde comprou a caixa de transporte de madeira, qual tamanho e preço, se possível. Obrigada Natasha

  17. Vancouver ainda aceita pitbulls? Achei que tivessem sido banidos..vc sabe me dizer sobre as províncias e estados que permitem a entrada de pitbulls?

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s